Artigo

  • May

    17

    2021
img

MÃE, MISSIONÁRIA DO AMOR

As mães são ternas mensageiras da benevolência, dentro de seus lares, ou fora deles, visto que seus cuidados concorrem para a saúde de forma integral.

O papel essencial de uma mãe na educação de seus filhos e nas lições de gentileza se reflete no futuro de todos.

“A família”, nos lembra o autor espiritual André Luiz, “é a união de almas em processo de evolução, ajuste e aperfeiçoamento. Não temos a família que gostaríamos, não temos a família que merecemos, temos a família de que necessitamos”.

Já o benfeitor Emmanuel nos diz que “A figura de uma mãe se reflete até na Paz Mundial”.

Isto porque é na família que tudo de bom acontece: o equilíbrio, a coragem, a fé, como também a eliminação dos medos, tensões e sofrimentos - faróis de orientação quase sempre empunhados sob os cuidados maternos.

Sabemos que as mães não são perfeitas, mas extremamente necessárias! Uma mãe atenta sabe colocar limites em seus filhos, mantém a autoridade (jamais o autoritarismo), entende que a educação em família forma o caráter das pessoas e que isto não é tarefa da escola. Crianças e jovens, quando devidamente orientados, colaboram com os professores e zelam por sua escola.

Assim, através de uma mãe vigilante e amorosa, a orientação familiar pode ser priorizada, enquadrando a moral e a ética, a paz e a compreensão como formas de prevenir viciações e ajudar na formação de bons hábitos.

“O ninho familiar, sem o clima da concórdia, é via de acesso para o desequilíbrio geral”, de acordo com André Luiz.
O fato é que viemos ao mundo graças a um pai e uma mãe, e certamente o amor deles por nós faz toda a diferença em nossa vida.
É na família onde se desenvolvem os sentimentos, os pensamentos e a inteligência. É na família que o Espírito desperta para as realizações superiores da vida, desde que tenha uma base de amor e respeito.

Dificilmente, uma criança que recebeu carinho de seus pais se dispersará. Notadamente, estudos comprovam que raramente jovens procedentes de lares equilibrados caem em depressão.

Isto porque nossas relações na infância moldam as características de nossa personalidade. Ser amado ou rejeitado dentro do lar afeta o desenvolvimento.

Por isso, o amor de mãe é tão decisivo no desenvolvimento do ser, desde a infância, estendendo-se à fase adulta.

Diante de tanto amor atribuído à figura materna, neste mês de maio, dedicado às Mães e a todas as mulheres que vivem em estado de maternidade, pelo amor de que são capazes, enviamos nossas homenagens e, à Mãe Santíssima, nossas preces.

Finalmente, todas nós integrantes do DAF – Departamento de Apoio à Família da FEPb estamos unidas na Campanha Solidária, para tornarmos um pouco mais feliz a vida das mães que precisam da gente.

Sigamos, com os mimos maternais que ousemos oferecer, não só aos nossos filhos, mas a todos aqueles que filhos nossos possam se tornar!!!!