Artigo

  • Jun

    18

    2021
img

MEDIUNIDADE EM FAMÍLIA

Mediunidade é a faculdade inerente a uma disposição orgânica, de que qualquer homem pode ser dotado, como o dom de ver, de ouvir, de falar, segundo afirma Allan Kardec, no Capítulo 24 de O Evangelho Segundo o Espiritismo.

O Codificador nos diz ainda que Para conhecer as coisas do mundo visível e descobrir os segredos da natureza material, Deus concedeu ao homem a vista corpórea, os sentidos e instrumentos especiais.(...) Da mesma forma, para penetrar no mundo invisível, Deus lhe deu a Mediunidade.

Lembrando que em O Livro dos Médiuns, em seu Capítulo 14, vemos que “Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Por isso mesmo, raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos”.

Portanto, todo ser humano tem a capacidade de se comunicar com os desencarnados. Não é um dom sobrenatural, nem um privilégio – é uma habilidade física, ligada à glândula pineal, no centro do cérebro, que capta o sinal do “além” e o converte em percepções, como se fosse uma onda magnética.

Daí que precisamos sempre zelar pelos ajustes de nossa escalada evolutiva e seguir aquela célebre recomendação do Cristo: “Orai e Vigiai”, isto para não acumularmos equívocos e não nos endividarmos, cada vez mais, perante as leis divinas.

No livro O Consolador, na questão 392, Emmanuel vem nos dizer que “O médium tem obrigação de estudar muito, observar intensamente e trabalhar em todos os instantes pela sua própria iluminação. Somente desse modo poderá habilitar-se para o desempenho da tarefa que lhe foi

confiada, cooperando eficazmente com os Espíritos sinceros e devotados ao bem e à verdade.

Precisamos cuidar de nossa melhoria moral, para evitarmos as investidas dos Espíritos distanciados do Bem.

 

MEDIUNIDADE NA INFÂNCIA

Há uma alta frequência de relatos sobrenaturais na infância, devido ao fato de o processo reencarnatório só se encerrar por volta dos 7 anos de idade. Até lá, a criança está ligada tanto ao Mundo Espiritual quanto ao Mundo Físico. Por isso, é na infância que mais ocorrem casos de comunicação desse tipo.

A partir do sétimo ano de vida terrena é que o Espírito vai se tornando mais consciente de suas potencialidades, então, quando chega à adolescência, "retoma a natureza que lhe é própria e se mostra qual era".

Afirma Kardec, na questão 385, de O LE, que “A delicadeza da idade infantil os torna brandos, acessíveis aos conselhos da experiência e dos que devam fazê-los progredir. Nessa fase é que se lhes pode reformar o caráter e reprimir os maus pendores”.

(Eis aí a grande responsabilidade dos pais e educadores: podar as más inclinações de seus filhos enquanto são crianças).

O fato é que a Mediunidade em Crianças às vezes começa muito cedo! Na Literatura Espírita, há relatos de crianças que foram obsidiadas desde o útero materno. Outras, a partir do berço.

Isto porque nossas crianças já foram adultas, em outras vidas, e por isso mesmo trazem consigo o compromisso contraído com Espíritos de outras existências, possuem seus débitos e acabam sendo localizadas por esses credores e obsessores.

 

AS REAÇÕES DA FAMÍLIA

Muitas vezes, os fenômenos mediúnicos com crianças perturbam mais os pais do que elas próprias. Mas a FAMÍLIA precisa ter calma e compreensão, para não haver desequilíbrios emocionais.

A médium mineira Suely Caldas Schubert, que desencarnou no mês passado, considera que os pais, para melhor lidarem com a Mediunidade na criança, podem procurar um psicólogo, como também uma Casa Espírita, onde a criança será atendida por pessoas realmente preparadas, que sabem tratar o caso com a delicadeza que merece.

Autora do livro Obsessão e Desobsessão, Suely afirma que os pais devem legar aos filhos a compreensão, o amor e os bons exemplos, mas é na Doutrina Espírita onde podem encontrar os melhores equipamentos lógicos para o esclarecimento do problema e, na maioria dos casos, também a cura.

 

MEDIUNIDADE NO LAR: OS CUIDADOS

Deve-se cultivar tudo o que possa concorrer para a elevação do padrão vibracional, ao mesmo tempo em que A FAMÍLIA precisa se esforçar para afastar toda e qualquer conduta não recomendável dentro do lar.

 

TERAPIAS NA CASA ESPÍRITA

Passes, água fluidificada, tratamento de desobsessão, orientação aos pais, Evangelização, livros espíritas infanto-juvenis.

 

TERAPIAS NO LAR

Além do Evangelho no Lar, conversa com o filho no momento do sono, diálogo fraterno, envolvimento da criança ou do jovem no trabalho de caridade e preces para melhorar a sintonia moral.

A melhor proteção, a melhor vacina contra a obsessão será vivermos em FAMÍLIA o clima de Jesus, buscando a prática do bem, os bons pensamentos e os sentimentos elevados.

Que nossas ações girem sempre em torno da medicação do amor, sem afetação, mas dentro da simplicidade, de forma que possa haver equilíbrio entre a disciplina, o respeito, a permuta entre os dois planos e a prece!!!!