Artigo

  • Jul

    31

    2016
img

PEDRO RECONHECENDO O CRISTO JESUS

Quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro disse: ‘Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.’ E respondendo disse-lhe Jesus: ‘Feliz és tu, Simão Bar-Jonas, porque carne e sangue não to revelaram, mas meu Pai que está nos céus.’ (Mateus, 16:15-17).
Nesta passagem evangélica mostra-se um momento onde a personalidade Simão Pedro faz um contato místico com a frequência mais alta da individualidade e acessa um campo de percepção ampliada de si mesmo e naquele lugar sagrado reconhece o Cristo de Deus.
Este êxtase espiritual é alcançado pela maturação evolutiva, quando o ser reencarnante quer transpor as limitações impostas pela vida física e se conectar com o ponto mais alto de si mesmo.
Quando o espírito está pronto para este mergulho profundo no melhor de si, a
espiritualidade prepara os caminhos para a chegada de mais um Filho da Luz.
Ao Pedro foi concedida a autoridade espiritual e não física/material de ligar e desligar-se de componentes energéticos que não servem mais para a caminhada de ascensão, visto que, recebendo as chaves do reino dos céus, simbologia para o nível de maturação e abertura do coração, se capacitou para atender as imprescindíveis e inadiáveis tarefas terrenas para sua auto libertação.
À medida que o espírito cresce para o Divino, mais se habilita para chegar a esse lugar que Pedro alcançou no encontro com Jesus, o Cristo, e quando lá chegarmos tudo o que ligarmos ou desligarmos na Terra, através da nossa personalidade (que animamos no momento) de modo automático será ligado ou desligado nos “céus conscienciais”, nos planos espirituais.
O Cristo Interno é UM conosco, e quando sentirmos e vivenciarmos estas verdades da Alma, estaremos em condições de dizer para Ele:
Tu és o Ungido, o Permeado pelo som (Verbo, Pai), tu és o Cristo Cósmico, o Filho de Deus Vivo, a Centelha da Luz Incriada, Deus verdadeiro proveniente do verdadeiro Deus. (Pastorino, Sabedoria, 1967, p. 53).
Pedro reconheceu o Cristo Jesus, e traz para a humanidade a possibilidade de buscá-lo também, e mais, traz a esperança e a convicção de que em havendo a busca sincera, o encontro é legítimo e a evolução se manifesta a todo aquele que está disposto a abrir mão dos velhos padrões limitantes do ego para alçar voos a lucificação da individualidade.