Artigo

  • Jul

    31

    2016
img

A AUTOESTIMA E A HUMILDADE

Para cultivar a autoestima, esta virtude sem a qual viveríamos abaixo do nosso valor como seres inteligentes, não é necessário nos sentirmos num pedestal, nem pensarmos como Alexandre, O Grande, o imperador que se considerava um deus e comparava suas conquistas às de figuras da mitologia grega. Isto porque podemos ser humildes, exercer o senso ético e humanitário e ao mesmo tempo nos valorizarmos como pessoas e profissionais.
Se fizermos uma viagem diacrônica pela História, veremos que o mundo é pleno de belos exemplos de autoestima: No século XVI, o filósofo Montaigne (1533-1592), afirmava: “Estamos cercados de valores equivocados e nossa pior desgraça é não acreditarmos no que somos”.
O pintor francês Paul Cézanne (1839-1906), ao ter seus quadros rejeitados no Salão Oficial de Paris, respondeu, com altivez, aos críticos que o massacravam: “Vocês não sabem o que dizem. Eu sou um marco na arte”. E tornou-se um marco mesmo!
A estilista Coco Chanel apostou na originalidade de suas criações e virou nome de grife internacional, no início do século XX, porque teve a coragem de afirmar: “Eu sou diferente, não sou parecida com ninguém. E daí? Eis a razão do meu sucesso”.
A cantora Tina Turner, depois de muito apanhar do marido violento, decidiu repaginar sua vida arrumando novo amor e seguindo a carreira-solo. No Brasil, temos o exemplo icônico da biofarmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes, que dá nome à Lei contra a violência doméstica, depois de vencer o marido que a deixou paraplégica. Hoje, plena de autoestima, vive feliz com o amor das filhas e lidera movimentos pró-mulheres.
O fato é que, como espíritas, seguidores de uma Doutrina que nada mais é que o Evangelho de Jesus redivivo, podemos seguir os ensinamentos do Divino Mestre e ao mesmo tempo mantermos nosso valor pessoal de pé. Mesmo porque a autoestima é o instrumento que nos ajuda a enfrentar as intempéries da vida e defender o sistema imunológico das emoções negativas. Dessa forma, ela impede a entrada de opositores e pensamentos derrotistas que poderão atrair entidades inspiradoras de doenças e sofrimentos.
Cultivemos, pois, esta grande força!!!!!