Artigo

  • Oct

    30

    2016
img

DOMINGUEIRAS - 30.10.2016 - REENCARNAÇÃO

“A vida não te tira nada, te liberta de coisas... alivia-te para que possas voar mais alto. A caridade não depende da bolsa. É fonte nascida no coração.”

Cada dia estamos precisando mais renovar nossas esperanças em dias melhores, e já estamos até antecipando o Natal, que cada ano chega mais cedo, embora teimamos em só comemorar no dia 25 de Dezembro, e como não temos noticias alvissareiras, ainda, achamos melhor, nesse domingo, transcrever uma reflexão do livro do meu nobre amigo, Danilo C. Villela: “Enfoques Doutrinários” focando o artigo REENCARNAÇÃO “O Livro dos Espíritos” (questões 166 a 171): “As diferenças, por vezes extremas, que observamos nos indivíduos, em termos de inteligência e moralidade, bem como as influências a que estão expostos devido ao meio em que vivem, sempre constituíram uma questão delicada para as religiões que afirmam a existência de um Criador sábio e justo. No oriente a crença nas vidas sucessivas permitia entender esse quadro, à primeira vista caótica, mas de absoluta coerência quando examinado à luz dos princípios de reencarnação, liberdade pessoal e causalidade.

Em nossa tradição ocidental-cristã, onde aqueles conhecimentos foram rejeitados, criou-se uma situação paradoxal pois o Supremo Poder, a soberana justiça – Deus é a perfeição absoluta – teria produzido um mundo profundamente mal ordenado, no qual reina a mais completa injustiça. As tentativas de justificar tal estado de coisas, sem os referidos princípios, sempre foram pueris e contraditórias: o erro do primeiro casal, Adão e Eva, que perdeu o paraíso para si e seus descendentes; são provas para que mereçamos a felicidade da vida espiritual; nossas característica, quando positivas, seriam dádivas divinas, admitindo outros que a salvação é uma graça concedida pelo Criador a alguns escolhidos independentemente de sua conduta. Outras correntes não reencarnacionistas, defrontando essa questão, propuseram explicações igualmente falhas, como o fatalismo – estava escrito – que constitui também uma forma de atribuir ao capricho divino a disparidade mostrada pela vida. É curioso observar que povos e indivíduos que adotam essa opinião não deixam de ser ativos e empreendedores no terreno econômico, estabelecendo objetivos de prosperidade e conforto e buscando alcançá-los como se isso realmente dependesse de sua iniciativa e não estivesse “escrito”, garantido de antemão. Oportuno lembrar, ainda, que a reencarnação conta já com expressiva evidência , em termos científicos, graças aos trabalhos de pesquisadores sérios sendo, já de algum tempo, utilizada por profissionais de medicina, em várias partes do mundo, inclusive em nosso país, como recurso terapêutico na abordagem de problemas de natureza psicológica. Como bem acentua Allan Kardec: “Todos os Espíritos tendem para a perfeição e Deus lhes faculta os meios de alcançá-la, proporcionando-lhe as provas da vida corporal... Não agiria Deus com equidade, nem de acordo com a sua bondade, se condenasse para sempre os que talvez hajam encontrado, oriundos do próprio meio onde foram colocados e alheios à vontade que os animava, obstáculos ao seu melhoramento.

Se a sorte do homem se fixasse irrevogavelmente depois da morte, não seria uma única a balança em que Deus pesa as ações de todas as criaturas e não haveria imparcialidade no tratamento que a todos dispensa.”...!” Tenhamos, pois, um domingo diferente, buscando o nosso equilíbrio mental-espiritual, na preparação da nova semana, cada vez mais perto do Natal, e que ele, como sempre o faz, nos renove a Fé e a Esperança em dias melhores. Que o espírito do Natal no envolva em fraternal amor, para alcançarmos o ideal de todo ser humano: A Felicidade Plena!
Obrigado. Muita Paz!